Profissões: Relações Internacionais

Essa é uma novidade aqui do blog, toda semana eu vou fazer um post sobre uma profissão diferente, essa ideia surgiu de alguns amigos meus que ainda não sabem o que querem, que estão indecisos… além de passar a informações, ajudo eles a escolherem né. E a profissão dessa semana é Relações Internacionais, leiam tudo abaixo.

RELAÇÕES INTERNACIONAIS – BACHARELADO

É a condução das relações entre povos, nações e empresas nas áreas política, econômica, social, militar, cultural, comercial e do Direito. Esse bacharel analisa o cenário mundial, investiga mercados, avalia as possibilidades de negócios e aconselha investimentos no exterior. Promove entendimentos entre empresas e governos de diferentes países, abrindo caminho para exportações, importações e acordos bilaterais ou multinacionais. A internacionalização da economia amplia o campo de atuação desse profissional, que pode trabalhar em ministérios, embaixadas e consulados, grandes empresas, bancos e ONGs.

Dúvida do Vestibulando

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE RELAÇÕES INTERNACIONAIS E COMÉRCIO EXTERIOR?

O profissional de Relações Internacionais conduz as relações entre povos, nações e empresas. Sua função é promover o entendimento para facilitar acordos de diversas áreas, como a política, militar e cultural. Já o profissional formado em Comércio Exterior se ocupa do intercâmbio de um país com as demais nações, tratando principalmente das relações de compra e venda com empresas do exterior.

O mercado de trabalho

O mercado para o bacharel está em ascensão graças à maior inserção do Brasil na política e no comércio internacionais. Nos últimos anos, empresas brasileiras têm se internacionalizado e contratam profissionais que tenham visão global e diplomacia para ocupar posições de gestão. Multinacionais como Ambev, Danone, Embraer, Unilever e Vale oferecem vagas a trainees que possam atuar no país ou no exterior. “Cada vez mais as questões internacionais têm efeitos domésticos, por isso esse profissional é essencial na interpretação de políticas e decisões que podem impactar o negócio das empresas”, afirma Maria Izabel Valadão de Carvalho, coordenadora do curso da UnB. Os postos de trabalho estão concentrados no eixo Rio-São Paulo e em Brasília (DF), mas novas vagas aparecem nas demais capitais. Em Cuiabá (MT), polo importante para os agronegócios, as oportunidades são promissoras na área de consultoria para os pequenos e médios exportadores. Macaé (RJ), região petroquímica, já oferece postos de trabalho e a previsão é de expansão nos próximos anos. Concursos públicos de órgãos como os Tribunais de Contas estaduais e da União e o Itamaraty quadruplicaram o número de vagas em três anos, e o número de profissionais necessários para trabalhar no país e no exterior na área de diplomacia só deve crescer. Aumentam também os concursos para atuar como gestor de políticas públicas em ministérios e secretarias.

Salário inicial: R$ 4.000,00 (fonte: profa. Janina Onuki, da USP).

O curso

O currículo divide-se em três grandes áreas: política, direito e economia. Durante o curso, estudam-se sociologia, economia e história. Além disso, tem aulas práticas com simulação de negociações políticas, empresariais, comerciais e diplomáticas. É uma graduação que exige bastante leitura e o domínio de línguas estrangeiras – o inglês é indispensável. Na maioria das escolas é necessário que os alunos façam estágio em empresas ou instituições públicas ou privadas com atuação internacional. É obrigatória a realização de um trabalho de conclusão de curso. Fique de olho: A UFRJ passou a oferecer, em 2010, o curso de Defesa e Gestão Estratégica Internacional, com foco em questões ambientais globais e segurança.

Duração média: quatro anos.

Outros nomes: Defesa e Gestão Estrat. Intern.; Rel. Econ. Intern.; Rel. Intern. (ênf. em mkt. e neg.); Rel. Intern. (ênf. em neg. e mkt.); Rel. Intern. (gestão de neg. intern.); Rel. Intern. e Comércio Ext.; Rel. Intern. e Integração.

O que você pode fazer

Agências governamentais

Planejar ações dos governos federal, estadual ou municipal nos setores político, econômico, comercial, social e cultural.

Analista internacional

Coletar dados e elaborar relatórios sobre a conjuntura internacional para órgãos governamentais, empresas privadas e ONGs. Participar da elaboração de programas de cooperação com outras nações.

Comércio exterior

Identificar oportunidades de comércio com outros países e intermediar a importação e a exportação de produtos.

– fonte: Guia do Estudante

 

Grade Básica do Curso de Relações Internacionais

  • Economia
  • História
  • Geografia
  • Direito básico
  • Língua Portuguesa
  • Teoria da Negociação
  • Sociologia
  • Estatística
  • Filosofia
  • Psicologia básica

 

– Espero que tenha ajudado (:

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: